Expectativas para a Black Friday 2020!

A Black Friday está chegando e não será nada normal! Confira quais são as expectativas para a que promete ser a maior Black Friday da história!

Expectativas para a Black Friday 2020. Veja como está a preparação, o aumento das vendas online na pandemia, os produtos e muito mais!

Você deve estar pensando: “Novembro está aí, e com ele mais uma Black Friday…” Saiba que você pode estar enganado!

A Black Friday desse ano promete ser a maior da história, pelo menos no que diz respeito às vendas online!

A Black Friday

Mulher negra de óculos escuro, calça branca e blusa amarela, carregando sacolas de compra e andando na frente de lojas.

Nos Estados Unidos, onde a Black Friday teve início, geralmente essa data acontece um dia após o dia de ação de graças, sempre na segunda quinzena de Novembro.

No Brasil, a população também já está adepta à Black Friday desde 2010 e, a cada ano, o brasileiro está mais acostumado com a ideia.  

Em 2020, a Black Friday no Brasil será na sexta-feira, 27 de Novembro. Porém, a data em que ocorrem as compras de fim de ano, descontos e promoções não se restringe somente a esse dia.

Estamos cada vez mais acostumados em começar a aproveitar os descontos e promoções antes da tão falada sexta-feira.

Aumento das vendas na pandemia

Miniatura de um carrinho de compra sendo empurrada por dois dedos de uma mão e em frente uma parte do teclado de um laptop.

Devido à pandemia do novo coronavírus muitas pessoas estão com medo de sair de suas casas e frequentar lojas físicas para fazerem suas compras.

Por isso, as vendas online aumentaram significativamente. Além desse fato, o consumidor também percebeu a comodidade de fazer suas compras pela internet, e assim está cada vez mais praticando essa ideia.  

O ano de 2020 foi histórico no que diz respeito às vendas pela internet. No primeiro semestre deste ano, todos os recordes foram batidos contando os últimos 20 anos.

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, a ABCOMM, o faturamento do varejo digital, de Janeiro a Agosto, cresceu 56,8%, chegando à marca de R$ 41,92 bilhões.

Ao mesmo tempo, os pedidos pela internet aumentaram 65,7% neste mesmo período.

Outro fator interessante que fez com que as pessoas fizessem mais compras online esse ano é justamente o “ficar em casa”.

Ao ter que se instalar dentro de casa para trabalhar, estudar ou simplesmente ter que ficar mais tempo dentro das suas residências, o público percebe a necessidade de vários itens de diversas categorias para se acomodarem melhor.

Expectativa para a Black Friday 2020

Acostumados já com a Black Friday, a cada ano o brasileiro tem se preparado mais cedo para essa época. Unindo isso ao aumento das vendas online, são grandes as expectativas para a Black Friday 2020.

Existe um cenário de incertezas muito grande em relação à opção das pessoas pelas lojas físicas ou compras virtuais, pois são muitos fatores que podem direcionar esta escolha.

O principal talvez seja não saber se na época as lojas físicas estarão abertas e, junto a isso, também existe o medo de que, mesmo com as lojas físicas funcionando, as pessoas ainda fiquem com receio de frequenta-las.  

Outro fator que é sempre determinante, independente da pandemia, são os preços que podem ser diferentes numa comparação entre compras físicas e online.

Imagine que além de não precisar sair de casa, os preços online estejam mais em conta. Nessa situação, você pode optar por comprar pela internet.

Por outro lado, pode ser que os preços nas lojas físicas estejam mais baixos, porém existe o deslocamento e, no cenário atual, os riscos com o coronavírus.

Diante desta última situação, poderá surgir muita dúvida na mente dos consumidores em relação a medir o que vale mais a pena na hora de comprar.

Por último, o que pode pesar na hora dos consumidores comprarem com um clique ou presencialmente é o contato com os produtos.

Muitas pessoas preferem ver o produto pessoalmente pois não se sentem seguras analisando o que vão comprar apenas por uma tela eletrônica.

Além disso, a certeza da entrega também é importante, por isso muitos preferem buscar os itens do que ficar esperando em casa.

Em resumo, as expectativas de vendas são grandes devido ao aumento nas compras online, mas por outro lado temos muitas pessoas sofrendo com a crise e os desempregos no Brasil.

As vítimas dessa crise podem não querer comprar, tanto como podem querer aproveitar mais do que nunca o momento de descontos e promoções proporcionado pela Black Friday.

 Tudo pode acontecer, mas todos sabemos que uma Black Friday dentro da normalidade com certeza não será.

No melhor dos cenários, pode haver liberação das lojas físicas e queda significativa nos números de casos do Covid 19 e, esses acontecimentos somados ao aumento das vendas online podem resultar na maior Black Friday já vista!

Preparação

Loja de roupas com vários modelos de roupa.

O mundo sofreu muitas adaptações e abraçou de vez o mercado virtual por causa da pandemia, e no Brasil não foi diferente.

Os brasileiros que já estavam acostumados a comprar pela internet se aperfeiçoaram nesse quesito, e os brasileiros resistentes a esse tipo de comércio se viram obrigados a adentrar nesse mundo do e-commerce.

Os aplicativos e sites de compras estão bombando por causa do aumento das vendas online. Porém, muitas empresas e lojas ainda não estão devidamente preparadas para o que está por vir.

Em um cenário onde poucos puderem sair de casa, é ideal que as plataformas digitais estejam funcionando bem, que as entregas sejam feitas no prazo e que os produtos mais demandados estejam disponíveis.

Não adianta as pessoas quererem comprar muito, se as lojas não estiverem bem preparadas para atender a essa demanda de forma efetiva, não é mesmo?

Produtos

Os produtos da Black Friday se encaixam em diversas categorias no mercado. Com a pandemia do novo coronavírus, houve algumas mudanças nos hábitos de consumo da população brasileira.

Então, confira o resultado da pesquisa da TracyLocke Brasil e Behup sobre as 10 categorias de produtos mais procuradas na Black Friday deste ano.

Ranking das 10 categorias mais desejadas pelos consumidores

  • Roupas, sapatos e acessórios (44%); 
  • Eletrodomésticos (41%);
  • Informática e eletrônicos (40%); 
  • Smartphones e telefones celulares (39%);
  • Utilidades domésticas e itens para casa (35%);
  • Presente de Natal (26%); 
  • Móveis (24%); 
  • Perfumes e cosméticos (24%);
  • Itens de decoração (18%); 
  • Viagem (18%).